Paratudo_
Patricia TeixeiraPatricia Teixeitaimage005Gomphrena officinalis

Paratudo

R$45,00

REF: PARATUDO Categorias , , Etiquetas: , , , ,

Descrição do produto

Esta essencia foi pesquisada por Patricia do Carmo Teixeira e é fabricada e comercializada pela Nona Essêncya.
O Paratudo (Gomphrena officinalis) é uma planta que floresce no verão, entre os meses de novembro a março, dependendo da região. No inverno perde a parte aérea. Possui folhas verdes e vermelho-alaranjadas, as chamadas folhas diferenciadas.

A essência do Paratudo resgata a capacidade que todos nós temos de lutar e brilhar, direcionando nossos caminhos, ajudando a resgatar nossa força interior. Ela trata a procrastinação, o “deixar para depois” que fica nos incomodando, que nos estressa e não nos deixa caminhar. Resgata a nossa missão de vida e, conseqüentemente, a nossa motivação. Livra-nos das tarefas e dos caminhos que não nos servem, das “teias de aranha” nas quais nos emaranhamos e não conseguimos sair. Coloca-nos novamente nos trilhos que nos leva a realizar nosso propósito de vida.

No Livro “Mulher essencial” publicado pela editora Rocco em 2005 ISBN: 8532519288, Patricia do Carmo Teixeira conta como descobriu a flor do Paratudo e relata alguns casos do uso da essência Paratudo.

“… Há algum tempo, quando eu, Patrícia, escolhia o tema da monografia para o curso de Especialização em Terapia Floral, percebi que poderia ser mais proveitoso se o assunto se referisse a situações que estivessem próximas a mim. Neste período minha filha estava entrando na puberdade e eu no climatério. Para entender mais sobre essas fases da mulher e saber como conduzir tudo isto de uma forma mais harmônica, resolvi aprofundar-me no assunto e focar a pesquisa nesta temática, os ciclos de vida da mulher. Fui desencorajada por uma orientadora: “afinal, você não é médica!”. Mas pensei: “sou mulher!”, e resolvi ir em frente. Ao terminar a pesquisa, meus mestres me sugeriram que a transformasse num livro. Gostei da idéia e fui em frente, uma vez que poderia ajudar outras mulheres que estivessem na mesma fase.

Adaptei os textos, dando a eles um formato de livro, porém o tempo ia passando e eu sempre achava que faltava algo, percebi que estava procrastinando, talvez por medo, receio de não ser boa o suficiente, insegurança. Sempre arranjava uma desculpa. Resolvi, então, ir para o campo e preparar uma essência floral para mim.

Comecei a andar no cerrado e procurar uma flor, a minha flor! Andei quase uma manhã inteira, o sol já estava quente e eu pensava em desistir, quando me aproximei de uma cerca para poder descansar, apoiando-me sobre os fios. Divagava naquele instante, quando senti uma tremenda vontade de olhar para trás, como se algo estive me chamando. Foi aí que avistei a flor, a minha flor! De imediato fui ao seu encontro e logo percebi que era “ela”, a flor que tanto procurava. Comecei a observá-la, senti que ela irradiava uma beleza singular, algo que me deixou naquele momento maravilhada. Bateu uma sintonia entre o meu momento e o que a flor expressava. Ao fitá-la com mais atenção, percebi que no centro dela a cor predominante era o vermelho, depois passando para o laranja até chegar ao amarelo.

A sua forma era de uma mandala. Relacionei as cores ao chakras básicos. Percebi, então, que as folhas tinham o formato de lanças e sua cor passava do vermelho para o laranja. E, então, a surpresa: na ponta de cada uma dessas folhas tinha uma minúscula flor amarela. O amarelo irradia luz e onde há luz não há lugar para as trevas, para o medo. Além disso, o amarelo da flor é da cor do ouro, que traz a abundância. A cor do terceiro chakra também é amarela, que trabalha a procrastinação, o medo de ir à luta. Preparei imediatamente a essência da flor e comecei a tomá-la. Em pouco tempo voltei a “engrenar” novamente e o que vinha adiando há um longo período, agora era realidade. Descobri o nome da flor. O Paratudo era a Gomphrena officinalis.

Popularmente ela é conhecida como Paratudo ou Perpétua – é uma flor nativa do cerrado. O fitoterápico do Paratudo ou Ginseng do Cerrado – sua raiz é muito parecida com a do ginseng – é muito conhecido pelas pessoas do interior. Usado principalmente como tônico, ele é também útil na cura de várias enfermidades, o que justifica o seu nome. Usei não só em mim como nos familiares, amigos e alunos dos meus cursos de Terapia Floral. Percebi que o seu efeito é principalmente o de direcionar, agilizar e concentrar. Seis meses depois estava lançando o meu livro, exatamente no dia 8 de março de 2002.

Há cinco anos os efeitos do Paratudo vêm sendo testados em alunos, clientes e outras pessoas que se dispõem a colaborar com a pesquisa. Muitos são os casos registrados, mas escolhemos apenas alguns que refletem com mais intensidade o efeito de direcionamento da essência:

“Sílvia era uma mulher submissa e tímida. Após tomar a essência do Paratudo, transformou-se. No trabalho, repreendeu um colega muito chato que a importunava a todo momento com brincadeiras inconvenientes. Em relação ao chefe, mostrou-se mais decidida, quando ele tentou pressioná-la para voltar a trabalhar no turno da manhã. Ela teria que largar o curso que estava fazendo de terapias alternativas. Porém, ela o enfrentou e disse que não mudaria o horário, pois já tinha assumido compromisso pela manhã. Demonstrou-se mais extrovertida, conversando mais e atenta aos acontecimentos à sua volta.”

“Roberta era sempre pontual no trabalho. Nunca negava um serviço. Estava sempre saindo mais tarde, executando suas tarefas e as dos colegas “espertos”. Sentia-se exausta no final do dia, mas não reclamava. Sua mesa vivia lotada de serviço. Tomou o Paratudo e após alguns dias começou a reagir, colocando os limites nos relacionamentos no escritório. Ao receber mais uma leva de tarefas, recusou imediatamente, dizendo ao seu superior que estava sendo explorada e que jamais iria executar o serviço de ninguém, somente o seu. O seu chefe ficou surpreso, mas logo concordou que ela estava com a razão, pois ele também não se sujeitaria àquele trabalho todo, enquanto outros ficavam conversando.”

“Fábia, moça sensível e delicada, era oficial de justiça. O pai, juiz de direito, queria que ela fizesse concurso para a carreira. Atendendo à vontade paterna, ela inscreveu-se num cursinho. Mas não estava feliz: não tinha a mínima vontade de estudar. Começou, então, a fazer o curso de florais e, logo no início, tomou o Paratudo. Alguns dias depois, percebeu que não tinha o perfil para a carreira que o pai havia escolhido para ela e resolveu sair do cursinho, apesar de já ter pago. Optou, também, por deixar o emprego e voltar a estudar. Seu sonho: ser psicanalista.

Print Friendly

Informação adicional

Descriçao

Vidros de 12 ml com essência de Paratudo (Gomphrena officinalis).

modo de usar

Pode ser utilizada para preparar vidros de florais pessoais. Também pode ser combinada com outras essencias. Usar 4 gotas se for usar uma essência, ou 2 gotas se for mais 1 essência do Estoque, em um vidro de 30ml ou em outro frasco, ou diretamente na boca.(duas gotas) . As essências não tem contra indicação e podem ser consumidas também na forma Estoque.

Efeito desta fórmula

Traz determinaçao, direcionamento, descisão, foco, coragem de assumir o projeto pessoal, traz realização pessoal, vitalidade, reconhecimento dos seus talentos naturais, e força para cumprir sua missão de vida.